Olival e Azeite

VARIEDADES DE OLIVEIRA . Arbequina; Bical; Cobrançosa; Conserva de Elvas; Cordovil; Frontoio; Glega; Gordal; Hojiblanca …

A oliveira é uma árvore típica do medeterrâneo ...
OLIVEIRA → Árvore típica do mediterrâneo, (Olea europaea L.) da Família Oleaceae, é uma árvore amplamente cultivada em olivais tradicionais ou intensivos. Através dos tempos, o seu fruto (azeitona) e o óleo que dela se extrai (azeite) têm sido usados pelas populações para fins alimentares, sendo parte importante da dieta mediterrânica. Esta fruteira lenhosa é, de uma maneira geral, tolerante ao stress hídrico e adapta-se bem a uma ampla gama de solos e de condições culturais, incluindo os solos ácidos e alcalinos. A nível mundial, a zona ecológica favorável à sua cultura situa-se entre as latitudes 30° e 45° nos hemisférios norte e sul, em regiões climáticas de tipo mediterrânico.

Arbequina; Bical; Cobrançosa; Conserva de Elvas; Cordovil; Frontoio; Glega; Gordal; Hojiblanca; Maçanilha; Picudo; Redondil; Verdeal … , são algumas variedades interessantes de oliveira.
  • ARBEQUINA  → Elevada produtividade, bom rendimento em azeite, utilizada em plantações intensivas.

  • BICAL → Vigorosa com porte erguido, fruto médio, de forma alargada, coloração preta depois da maturação. Fruto de boa qualidade para azeitona de mesa. Suscetível á gafa e mosca da azeitona.

  • COBRANÇOSA → Bastante produtiva e regular, bom rendimento em azeite.

  • CONSERVA DE ELVAS → Planta de grande porte, fruto grande, ovoide ou elipsoidal, boa para Azeitona de mesa. Bom rendimento em azeite rico em ácido linoleico. Suscetível à gafa e á mosca da azeitona.

  • CORDOVIL DE MOURA OU DE SERPA → Porte pequeno ou médio, fruto médio, bom para conserva em verde. Bom rendimento em azeite. Azeitona indicada para colheita por vibração na fase de completa maturação. Muito suscetível ao ataque de tuberculose, e com certa resistência à mosca da azeitona.

  • FRONTOIO → Variedade italiana e das mais produtivas. Fruto médio, com maturação escalonada. O azeite é muito apreciado pelas suas excelentes características organoléticas e estabilidade. Produção elevada e constante. Tolerante ao Verticillium. Sensível à tuberculose, mosca e frio invernal.

  • GALEGA → variedade produtiva, fraco ou médio rendimento em azeite, fruto próprio para conserva em preto.

  • GORDAL → De origem espanhola, pouco difundida em Portugal, mas apreciada pelo tamanho dos seus frutos. Fruto muito grande ovoide, próprio para conserva em verde, especialmente pela sua apresentação. Suscetível à cochonilha, e à tuberculose, tolerante á mosca e a doenças  criptogâmicas em geral.

  • HOJIBLANCA → Muito difundida na zona de Córdoba e Espanha. Fruto médio/grande, de forma elíptica, tem dupla aptidão, mas o fruto é mais apropriado para conserva. Sensível à tuberculose e à mosca, suscetível à cochonilha. Tolera muito bem o calcário.

  • MAÇANILHA  → Variedade produtiva, médio rendimento em azeite, destinada a conserva em verde, excelente qualidade como azeitona de mesa.

  • PICUDO → Também conhecida como Carrasquenha de Córdoba – Espanha. Fruto de forma alargada, de tamanho grande, com maturação tardia. Dupla aptidão, mas é mais apreciada pelo seu azeite com excelentes características organoléticas. Os frutos apresentam uma elevada força de retenção o que faz com que dificulte bastante a colheita por vibração. Muito sensível à tuberculose e olho de pavão.

  • REDONDIL → Variedade com grande representação na região de Elvas. Fruto médio ou grande, excelente para conserva em verde. Apresenta bom rendimento em azeite e é apropriada para colheita por vibração. Suscetível à mosca da azeitona e a certos fungos como o da gafa, do escudete e aos efeitos do granizo.

  • VERDEAL ALENTEJANA OU DE SERPA → Porte médio ou grande, arborescência mediana ou ascendente. Fruto médio ou grande, elipsoidal, bom para conserva em verde. Apresenta bom rendimento em azeite, bastante regular e produtiva. De maturação muito tardia e pouco apropriada para colheita por vibração.