Uncategorized

MONTADOS . Sintomas de Fitóftora

Nas áreas afetadas pela Fitóftora, além das medidas de prevenção, deverão ser aplicadas medidas para reduzir a atividade do patogénio e evitar a sua disseminação, tais como:
  • Delimitar e sinalizar os focos de infeção, deixando uma faixa com árvores aparentemente sãs.
  • Controlar e limitar ao mínimo a entrada de pessoas, veículos e animais nos focos de infeção especialmente na época das chuvas quando o solo está mais húmido.
  • Manter faixas com espécies de mato não suscetíveis a FITÓFTORA como por exemplo as giestas, a perpétua-das-areias ou a marioila em zonas declivosas para limitar a erosão e favorecer a infiltração de água.
  • Limitar a presença de gado nas zonas afetadas. Se for imprescindível introduzir gado, fazê-lo quando o solo estiver seco para minimizar a disseminação do patogénio.
  • Utilizar pedilúvios portáteis para evitar que o gado disperse o patogénio.
  • Na reflorestação, em áreas muito afetadas devem ser utilizadas espécies florestais tolerantes/resistentes e evitar as azinheiras e sobreiros.
  • Realizar correções que aumentam os níveis de cálcio livre no solo para reduzir a infecção.
  • Favorecer a presença de fungos micorrízicos que podem ajudar na nutrição da plantas.

Extrato de artigo de Ana Catarina Moreira, in Revista Voz do Campo