CONSULTÓRIO FRUTÍCOLA

Soluções para o combate ao Míldio

O míldio dá nome a diversas doenças de caráter criptogâmico, ou seja, são causadas por fungos ou organismos parasitas que aparecem nas plantas e podem chegar a atacar a todo o cultivo, tendo assim consequências catastróficas.

O Míldio é uma das doenças mais comuns no cultivo de plantas, sobretudo, nas plantações de uvas. É normal confundi-lo com o oídio, pois têm sintomas similares.

Como tratar?

Antes de aplicar substâncias químicas, o recomendado é começar pela prevenção. Deve ter os cuidados de as plantações estarem cuidadas(manutenção, podas, ervas daninhas), assim evitará que os esporos do míldio contaminem outras plantas e usar ferramentas limpas e mãos desinfetadas.

Se a prevenção falha, pode fazer o seguinte:

  • Eliminar as folhas suspeitas ou contaminadas. Retire-as com cuidado para não infetar as outras plantas e não expandir a doença. Use ferramentas desinfetadas e assegure-se de ter as mãos limpas.
  • Veja-se livre de tudo o que estiver infetado de míldio (deite fora, incinere-o, etc).

Caso tudo falhe, recorre-se a substâncias químicas.

Deve-se tratar as plantas no momento oportuno, ou seja, antes de que os danos sejam irreversíveis. O mais habitual é usar os seguintes produtos:

  • De contacto: são produtos usados nos tratamentos preventivos e são mais efetivos quando se encontram na superfície da planta. Caracteriza-se por não penetrar no interior da vegetação. Pode-se repetir o seu uso caso se verifique que a chuva ou as regas os tenham eliminado.
  • Penetrantes: Ao contrário dos produtos de contacto, estes infiltram-se no interior da planta e circulam pela zona em que foram aplicados. São preventivos e curativos na primeira etapa do aparecimento do míldio.
  • Sistémicos: como a categoria anterior, este produto penetra no interior e neste caso circula através da seiva para todas as partes da planta e a todos os seus órgãos. Recomenda-se limitar o seu uso, pois gera resistências.

O míldio é um fungo que está presente, em estado microscópico, no solo. É o bater da água da chuva na terra que o faz saltar para as folhas da planta que estão mais perto do solo. Uma vez nas folhas, os germes entram em actividade e atacam directamente as células da planta provocando o aparecimento das primeiras manchas. Quanto mais os filamentos dos fungos se desenvolvem, maior é a extensão da doença. São necessárias condições exatas de temperatura e de humidade para que o míldio se espalhe. Abaixo dos 10º C ou acima dos 28º C, o fungo fica inactivo. Mesmo quando a temperatura lhe é favorável não poderá espalhar-se se o ar estiver seco.

Como lutar

O míldio é um fungo patogénico, geralmente sensível aos derivados do enxofre e do cobre, como a calda bordalesa. Para ser eficaz, o tratamento contra o míldio deve ser efetuado antes do seu aparecimento (logo num estado de prevenção). No entanto, o tratamento com enxofre molhável em pulverização é eficaz quando as temperaturas já estão quentes (pelo menos 20º C).

Sugestão de produto

O míldio é pouco sensível aos tratamentos com base nos extratos vegetais (adubo verde cavalinha ou de ortiga), pois é um fungo bastante virulento. Os extratos vegetais podem servir para limitar a infestação pois de qualquer forma as manchas pretas não irão desaparecer.